You are here: Home > Cãoportamento animal, PlantãoPet, Proprietário Animal! > Criando Gatos – Filhotes: 1. Nova casa e Alimentação!

Criando Gatos – Filhotes: 1. Nova casa e Alimentação!

Mais uma vez o post de terça feira não sai na terça feira…as terça feiras, que eram meu dia oficial da Vadiagem Malemolente, estão ficando muito ocupadas. Estou mexendo num experimento la na UFT (e rezando pra ganhar uma bolsa pra continuá-lo…) e isso está consumindo minhas manhãs preguiçosas de terça feira…….

Comecei a fazer estes posts para serem em duas séries: “Criando Gatos” e “Criando Cães”, cada uma dividido em três fases: filhotes, adultos, idosos. Mas, conforme comecei a escrever sobre os gatinhos vi que ficaria informação demais pra um único post. Então vou dividir em mais partes (e se possível postar em intervalos de tempo menores). Comecei pelos gatos por um motivo básico e egoísta: Eu gosto mais de gato do que de cachorro!


Ti fofo!

Criar gatinhos é relativamente fácil. Tem gente que fala que gato é impossivel de adestrar, destrói a casa, arranha o sofá, etc etc. Mas se seu bichano for ensinado desde filhotinho ele vai crescer sendo um exemplo felino. Então, vai aí a receita para o gatinho bem cuidado, saúdavel e ensinado:

Ingredientes:

1 Gatinho a sua escolha (Persa, Siamês, Vira-lata, Sialata…)

1 Caixinha de areia

1 Coleira (guizos e sininhos são opicionais)

2 Tigelinhas (uma para comida e outra para água)

No mínimo 1 arranhador

Brinquedos à vontade

1 Caminha ou cestinha fofa e confortável

Ração para filhotes

Muito amor, carinho e paciência.

Modo de fazer:

Dissolva a caixinha de areia em 2l de agua fervente, adicione 3 ovos e Ops! receita errada!

Leve seu gatinho pra casa e reserve um cantinho especial para ele (pode ser um banheiro, a varanda do apartamento…o ideial é um local pequeno), para que ele não se assuste com o tamanho da nova casa. Um gatinho mais extrovertido já vai sair pululando pela casa querendo conhecer tudo, enquanto que aqueles gatinhos mais tímidos vão ficar mais quietos e assustados, precisando de mais atenção por parte da nova família para se adaptar à casa nova.

Esse cantinho-do-gato deve ter sua caminha (pode até ser uma caixa de papelão mesmo, com uma almofada ou um paninho macio dentro para ficar confortável e quentinho. O ideal é que a caminha tenha as bordas ligeiramente altas, para que o gatinho se sinta protegido lá dentro), seus brinquedos, o afiador de unhas e as tigelinhas de água e comida. Eu não deixo a caixinha de areia no mesmo ambiente, por causa do cheiro (principalmente se for um ambiente pequeno e fechado, como uma varandinha de apartamento), mas ela deve estar em um lugar fácil e acessível ao seu gatinho.

É comum que os gatinhos mais assustados se escondam embaixo dos móveis ou em cima deles nos primeiros dias (o meu gato se escondia dentro do guarda-roupa…), quando isso acontece, a família deve dedicar atenção especial ao novo amigo felino, tirar ele do esconderijo (com muuuuita calma por favor! Não queremos traumatizar o pobre!), pegar no colo, passear pela casa, brincar, escovar, oferecer petiscos (não em excesso! Muito cuidado na hora de mimar seu bichinho com petiscos!), leite…. vale de tudo!

A ração deve ser suficiente e de qualidade. E muito, muito importante: gato não pode comer ração de cachorro! Eu já vi muita gente que tem cachorro, adotar um gato e começar a dar a mesma ração pros dois! Meeeeeeu, ração de gato é completamente diferente de ração de cachorro (saiba mais neste post sobre nutrição de pets)!! Muito cuidado nessa hora!! Dar a ração errada pode resultar em um monte de doenças, imunidade baixa, animais subnutridos e por ai vai.

Os gatos são muito frescos seletivos com a ração. Se o se gatinho não gosta da ração que você comprou, meu pêsames. Você vai ter que achar uma que ele goste, não adianta usar a técnica do cachorro, do “deixa-aí-que-um-dia-ele-come”. Gato, se não gosta da comida não come e morre de fome se não tiver uma ração do seu agrado! Se ele já era acostumado a uma ração, continue dando a mesma, ou, se for mudar de ração, vá mudando a ração aos pouquinhos, misturando um pouco da ração nova com aquela que ele já era acostumado.

O preço e qualidade das rações variam muito, indo desde a ração de luxo exclusva para filhotes de siamês de olho azul, com 4 a 5 meses de idade e que gosta de dormir na almofada vermelha do sofá, até a ração barata genérica de R$2,00 o quilo ali na casa agropecuária da esquina. Cabe a você e a seu gatinho decidir qual será a melhor (a ração mais cara nem sempre é a melhor! depende muito do paladar do seu gato!)

O filhote sempre tem um exigência nutricional maior que o animal adulto, por isso é importante usar ração específica para filhotes. Conforme o gatinho vai crescendo, ele começa a consumir uma menor quantidade de comida. Os pacotinhos de ração já vêm com a informação de quantidade de comida que deve ser administrada e quantas vezes por dia. Não tem erro!

Agora, se o seu gatinho veio ainda antes de ser desmamado (eu peguei meu gato com uns 10 dias de idade. Algum infeliz matou a mãe dele com tiros de chumbinho…), é importante que você forneça todos os nutrientes necessários ao recém nascido antes de iniciar a alimentação com ração seca. Além do que, o gatinho recem nascido é tao pequeno que nunca iria conseguir comer ração!

Uma opção são os leites em pó, proprio para filhotes (não, Molico não serve! O ideal é o Pet Milk da Vetnil), que são maravilhótimos, mas também muito caros! (+- R$40,00 uma latinha de 300g). Uma alternativa mais barata (que foi o que eu usei no meu gato – vida de estudante pé rapado é dura!), é usar o leite de vaca comum (integral) com um ovo diluído. Lembrando que os “filhotes muito filhotinhos” ainda não têm controle do esfíncter e por isso você deve estimular a defecação e micção passando um algodãozinho molhado (de preferência morninho) na região anal do gatinho, simulando as lambidas da mãe, para evitar uma constipação que pode terminar em morte.

Ah, sim! Lembrando que no casos destes gatinhos muito pequenos, o ideal é você ter uma mamadeira própria para filhotes, à venda em Pet Shops, maaas, se mais uma vez, você não tem como adquirir uma mamadeirinha, uma seringa mesmo, de 20ml ou até menos, serve. (Sem a agulha óbvio!) A maneira correta de amamentar seu gatinho é sempre deixar ele em pé (sobre as 4 patinhas). Amamentar o gatinho de barriga pra cima (que nem bebê) pode fazer com que ele aspire o leite, trazendo complicações mais tarde.

Assim que seu gatinho passar dos 45 dias (mais ou menos…), você pode optar por uma papinha de desmame. A papinha de desmame ajuda o gatinho a ir se acostumando aos poucos com a  introdução de comida seca. Outra idéia é ir dissolvendo a ração seca em leite morno ou água, diminuindo gradativamente a quantidade de água, até que ele passe a consumir só a ração.

Outra coisa importante para os gateiros de primeira viagem, é a regularidade na hora de oferecer a comida ou dar a mamadeira. Os gatos são muito chatos exigentes com a rotina. O ideial é sempre dar a comida nas mesmas horas todos os dias.

E tenha sempre água fresca e a vontade a disposição do filhote.


Essa é a posição correta na hora de amamentar seu gatinho!

No próximo post (sexta feira sem falta! Prometo!), vou falar mais da higiene do gatinho e mais pra frente sobre adestramento, vacinação, vermifugação e acompanhamento veterinário. Té lá!! ^_^

____________________________

Não perca estes outros posts, que também tem tudo a  ver!

Outros posts tudo a ver!

  • Criando Gatos – Filhotes: 3. Vacinação Vermifugação e Cuidados Veterinários!
  • Tô famosa!
  • Cuidados com os pets no inverno (Parte II)
  • Criando Gatos – Filhotes: 2. Higiene e adestramento!
  • Criando Cães – Filhotes: 3. Vacinação Vermifugação e Cuidados Veterinários!




Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,