You are here: Home > Cãoportamento animal, PlantãoPet, Proprietário Animal! > Criando cães – Filhotes: 2. Higiene e adestramento

Criando cães – Filhotes: 2. Higiene e adestramento

Pra você que já leu a parte 1, acompanhe agora a parte 2: Principais cuidados com a higiene do seu cãozinho e como adestrá-lo, para que ele não vire um monstro comedor de papel higiênico e orquídeas premiadas…

Filhotes são atraídos por papel  higiênico com a mesma intensidade que roupa branca atrai molho de tomate…

Um desvantagens dos cachorros sobre os gatos (como você pode ver em Criando Gatos – Filhotes: 2. Higiene e adestramento), é que você precisa gastar horas, dias e tapetes até que seu filhote aprenda a fazer xixi e cocô no lugar certo. Alguns filhotes aprendem mais rápido, outros são mais “atrasadinhos”…mas com paciência a gente sempre consegue ensinar. Claro que não adianta querer ensinar um filhote de 45 dias onde é o local do xixi, porque ele ainda é novinho demais pra entender. Lá pela décima semana (2 meses e meio a três meses) é quando o filhotinho começa a ser independente e é aí que devem começar os primeiros ensinamentos básicos. Nada de “senta”, “deita”, “finge de morto”….estou falando do “não”, do “muito bem” e do certo e errado.

Vou tentar fazer este post com as perguntas mais frequentes e as respostas, pra facilitar um pouco a coisa.

Como ensinar o filhote onde é o local de fazer xixi e cocô?

Existem muitas técnicas. A mais simples é colocar um jornal ou paninho no lugar escolhido e levar seu filhote pra lá sempre que você perceber que ele vai fazer xixi. Não é garantido, muitos filhotes não sacam o “esquema” e só vão te achar meio maluco, carregando ele pra cima e pra baixo enquanto ele faz xixi na sua roupa pelo meio do caminho. Outra técnica, é usar spray ou aquelas fraldinhas especias com odor atrativo. O filhote é atraído pelo cheirinho e faz seu xixi no lugar certo.

Mas, melhor do que ensinar seu filhote onde fazer xixi é ensina-lo onde ele NÃO deve fazer xixi. Sempre que pegar seu filhote fazendo xixi ou cocô no lugar errado, diga “não”, de modo autoritário e alto (nao precisa gritar, né?!). Não venha com “Totó! Meu tapete…aí nao pode…ai, seu filho de uma cachorra sarnenta, eu vou te matar”. Seu cachorro nao entende tudo isso. Ele precisa entender que não pode… e dizer “não” é o suficiente. Pode ser complementado com um tapinha no focinho ou na “bundinha” (tapinha! Nada de bicuda nas costelas! Lembre-se que filhotes, mesmo os de raça grande, são frágeis e quebram fácil!)

Sabedoria do xixi compartilhada, vamos ao próximo passo: Quando e como posso dar banho no meu filhote?

Os filhotes podem começar a tomar banho depois de completadas as vacinas, mais ou menos no quarto mês. Antes disso, caso ele esteja muito fedidinho, pode ser feita uma limpeza com lencinhos umidecidos (aqueles de bebê) e escovação nos filhotes de pelo longo. O banho deve ser dado com agua morninha, usando shampoo e sabonetes próprios para animais. De preferencia hipoalergênicos e sem cheiro. Evite perfumes. Shampoo anti pulga e carrapato só com orientação do veterinário! Filhotes são muito sensíveis! Não esqueça também de colocar algodão nas orelhinhas. A água dentro das orelhas além de desconforto pode causar otites.

Após o básico sobre limpeza, vamos a próxima etapa: quando adestrar?

O adestramento por profissional é recomendado para todas as raças grandes e gigantes. Não porque estes animais sejam mais agressivos ou perigosos, mas é que um animal pequeno é facil de ser controlado. Qualquer malcriação você pega no colo e leva pra fora. Agora, um dogue alemao de 70kg, cuméquifaz? O adestramento pode ser iniciado a partir dos 6 meses. É mais ou menos como a gente aprender um novo idioma , enquanto criança a gente aprende a falar qualquer língua facinho, facinho (tipo aquele menino americano que aprendeu como primeiro idioma o Klingon, falado pelos vulcanos em Star Trek…) depois de grande é um muito mais dificil! Logo, quando antes começar melhor.

Adestrar segue os princípios de Pavlov ( O Cão de Pavlov é meu segundo ‘animal’ favorito, logo depois do Gato de Schrödinger), conhecidos como “reflexo condicionado”. O animal aprende a realizar determinados comandos (ou a não fazer algumas coisas) com base nas consequencias. Teoricamente é muito simples, mas exige muita paciência e bastante técnica! Por isso, se possível, contrate um adestrador profissional ou faça um curso de adestramento antes de sair adestrando “na lôca”. Seu cachorro agradece!

Mas claro que filhote que é filhote, apronta pra caramba! O que fazer com as malcriações?

Vamos para as principais:

O que fazer para o cachorro parar de cavar no meu jardim?

Pois é, cachorros cavam. Faz parte da natureza deles. Eles precisam cavar para gastar as unhas, se exercitar e etcs…. mas isso não significa que você precisa conviver com obras do metrô canino no seu canteiro de margaridas! Uma ideia boa para acabar com a “cavação” é tapar o buraco enterrando um cocô do seu cachorro lá dentro. Para explicar como funciona, vamos imaginar uma história de piratas. Jack Sparrow achou um mapa do tesouro, o X indica onde o baú está escondido. Ele pega o Pérola Negra e vai feliz até a Ilha das Margaridas pegar o seu tesouro. Chegando na ilha, ele segue o mapa até o X (que é bem onde ficam as margaridas mais bonitas), pega a pá e começa a cavar. Cava, cava, cava, cava….até que acha alguma coisa! É um bau do tesouro recheado de moedas e pedras precioas? Não! Ele está cheio de cocô! Deu pra imaginar a frustração? Pois é, se eu fosse o Jack Sparrow, nunca mais ia cavar um buraco na vida. Seu cachorro provavelmente, vai pensar da mesma forma.

Sentiu a expectativa e a frustração? Seu cachorro nunca mais vai querer ser o maior pirata dos Sete Mares Canis… talvez ele resolva virar ninja, já que não pode ser pirata, mas isso é outra história…

Maaaaas, peralá! As vezes os cães cavam buracos por outros motivos além da diversão e pura malignidade para com a grama verdinha do quintal. Eles podem cavar buracos quando estão estressados ou com frio, porque, além de se esquentar pelo exercicio de abrir o buraco, lá dentro é mais quentinho e protegido do vento. Curiosamente, eles também abrem buracos quando estão com calor, porque dentro do buraco a terra é mais úmida e fresquinha. Resumindo: para os cães, buracos são como ankle boots para as mulheres, você pode usar em todas as estações! Por isso, antes de ter um chilique, procure ver direitinho porque o seu cão está cavando.

Como faço para ele parar de roer os móveis?!

Sabe bebês, quando começam a nascer os dentes e ele têm febre e choram e essas coisas todas? Com os cães é muito parecido. O crescimento dos dentes “coça” e eles sentem necessidade de gastar esses dentes. Por isso roem tudo que encontram pela frente (principalmente as raças de caça, como os terriers). Para evitar, não deixe seu cão dentro de casa e com contato com os móveis até passar essa fase. Se isso nao for possível, arrume brinquedinhos e mordedores pra que ele possa “gastar” os dentes sem estragar nada. Pode-se usar spray especial nos móveis, que afastam o animal. Pergunte no petshop!

Ele destrói a casa inteira! O que fazer?

Todo mundo já teve aquele episódio de chegar em casa a noite e encontrar tudo de cabeça pra baixo. Livros e revistas estragados, sofá com “as tripas” saindo pra fora, papel higienico na casa inteira. Porque isso acontece? Filhotes são crianças, eles têm uma energia absurda! E, no nosso mundinho moderno, a maioria deles não tem onde gastar essa energia toda e acabam descontando nos móveis. Para evitar, saia todo dia com o seu filhote (depois que ele tiver as quatro doses de vacina! antes disso nao pode!), brinque com ele, corra com ele…para que ele gaste um pouco da “bateria”.

Outra coisa que leva os cães a destruir a casa quando sozinhos é a solidão e ansiedade. Coisa de gente, como eu disse neste post aqui. Nesses casos o que resolve é: ter outro cão (mas aí eles podem aprontar juntos e o “preju” vai ser maior) ou um filho pequeno (eu ficaria com essa opção, faz bem para os dois!) ou, em ultimo caso, apelar para os remédios (que pra mim é uma coisa absurda triste e, se possível, devemos evitar ao máximo). Eu acho que nessa hora, o que realmente resolve é só o bom senso. Ter um cão porque VOCÊ se sente sozinho quando volta do trabalho não é o motivo certo para ter um animal. Se sua vida não puder oferecer conforto para o seu cão (e conforto nao é caminha, casinha, roupinha da moda e ração cara.), opte por outra coisa para apaziguar sua solidão. Deixar um animal estressado e sozinho o dia inteiro para que você possa ter companhia e afogar a trsiteza durante poucas horas a noite é egoísta e cruel. Neste caso, compre uma garrafa de vodka que é mais barato, dá menos trabalho e só faz mal a você.

“Meu dono me comprou para que eu fizesse companhia pra ele… mas quem vai fazer companhia pra mim?” =(

Mas e quando o filhote faz tudo certinho?

Lembra do comportamento condicionado do Pavlov? Pois é, bons comportamentos devem ser  recompensados, para que o cãozinho aprenda que “se comportar bem = presente”. Normalmente a gente usa petiscos, mas lembre-se: não abuse deles! Petiscos em excesso engorda! Pode-se substituir o petisco por um carinho ou uma fruta.

Outra coisa que merece um petisco são os eventos traumáticos, como uma visita ao veterinário (a gente estuda cinco anos pra cuidar deles e tudo que conseguimos é ser “um evento traumático”!….chuif), um curativo ou procedimento doloroso, banho, etcs… isso ajuda o cãozinho a ter menos medo da situação, sabendo que, assim que acabar, ele vai ganhar um presente.

E, aqui acaba a segunda parte…eeee!… Não percam na semana que vem a terceira e ultima parte: Vacinação, vermifugação e cuidados veterinários.

Até lá!

Outros posts tudo a ver!

  • Criando Cães: Ensinando o básico para seu filhote (ou: ‘Marley & Eu- Onde foi que eu errei?!’)
  • Criando Cães – Filhotes: 3. Vacinação Vermifugação e Cuidados Veterinários!
  • Criando Cães –  Filhotes: 1. Nova casa e alimentação
  • Post revoltado de fim de semana – Animais não são filhos!
  • E a PAVORvirose?




Tags: , , , , , , , , , , ,